Internet na escola

O excepcional avanço no uso Internet, notadamente nos últimos dois anos, vem demonstrando claramente os impactos que ela pode provocar – e de maneira geral vem provocando – em diversos setores de uma sociedade globalizada. No Brasil o número de usuários da Internet aumenta de maneira expressiva.

A “navegação” pela WWW (Wide World Web), seja para comprar, procurar emprego ou simplesmente se informar, e o correio eletrônico ocupam cada vez mais tempo no cotidiano de famílias das classes média e alta. Adultos, adolescentes e até mesmo crianças começam a usar a Internet de uma forma tão natural como ligar o rádio ou a televisão na busca de informação e entretenimento. Em tal cenário, é bastante razoável imaginar que essa tecnologia possa trazer impactos relevantes na educação.

oamis_computadorNesse mesmo tempo a escola ainda se vê desafiada para incorporar o computador nos processos de ensino-aprendizagem de uma forma que efetivamente agregue valor ao processo educacional. Pais e alunos, movidos principalmente pela lógica da empregabilidade, demandam da escola o uso do computador. A concorrência leva também à informatização das escolas: “Se a escola concorrente usa o computador, a minha escola tem que fazê-lo” pensam os diretores, muito embora não se ocupem em avaliar a qualidade e adequação desse uso. Enquanto isso a escola ainda permanece um pouco perdida no como usar essa tecnologia. São várias as razões, que vão desde o despreparo dos seus professores para um uso inteligente dessa tecnologia até a carência de bom software de uso educacional.

De repente, como se encontrasse uma solução mágica, a escola passou a ver na Internet uma possibilidade de uso mais imediato do computador nos processos de aprendizagem.

Mas o que é a Internet?

Sem considerarmos que talvez seja o “maior depósito de lixo” já criado pelo homem, a Internet deveria ser vista por dois prismas, se quisermos destacar bem suas funções. De um lado, ela funciona como uma grande biblioteca, oferecendo informação das mais diferentes formas e da mais variada qualidade. Por outro lado ela se torna um grande caminho de comunicação entre pessoas e, não seria exagero afirmar, uma estratégia que vem resgatando a comunicação escrita (embora o uso exagerado dessa forma de comunicação já comece a reduzir o contato entre pessoas)..

Olhemos para a biblioteca e a escola.

oamis_estudante_3Uma biblioteca tem seu valor, que é inegável, nos processos de aprendizagem. Mas não basta que ela esteja presente ou acessível; é preciso que o aluno saiba como usá-la. E isso significa não só saber como acessar o que ali está colecionado, mas principalmente selecionar o que ali está colecionado, sabendo de sua adequação à tarefa de escola e de aprendizagem. Portanto, o aluno precisa aprender a usar a biblioteca antes de o fazer. Esse ensinar a usar é uma tarefa da escola num processo de formação do aprendiz.

Da mesma forma, ao simplesmente determinar ao aluno que vá à Internet e busque ali um ou outro texto a título de elaborar uma “pesquisa”, os professores e a escola poderão estão incorrendo em um grande engodo: estarão, mesmo que sem querer, iludindo os alunos – e até mesmo seus pais – ao fazê-los acreditar que isso é um uso adequado do computador na escola. E sem nos esqueceremos de que se dará ao aluno uma grande chance de lograr seus próprios professores já que os recursos dos browsers lhe permitem, com operações de copiar e colar, fazer com que passem como seus os textos de outros. Estarão se produzindo textos que são meras colagens, onde o único exercício do aluno será o manuseio do mouse ou do teclado, ao invés do exercício da capacidade intelectual.

Um outro potencial do uso da Internet na escola está na comunicação através do correio eletrônico e de outras formas (teleconferência, chat e outras).

No caso do correio eletrônico tem-se uma forma de comunicação assíncrona (os interlocutores não precisam tratar as mensagens no mesmo momento) e imediata (a transferência das mensagens é instantânea). E a comunicação é principalmente barata, já que se fala com o mundo ao custo de ligações telefônicas locais. É portanto uma possibilidade valiosa.

Mas acreditar que é simples esse uso da Internet na educação é outro grande equívoco.

Primeiro o aluno deverá estar preparado para essa comunicação. O aluno tem que saber o que, quando, como e com quem se comunicar. Prepará-lo para isso é uma tarefa prévia da escola para que os alunos não corram de despender tempo e energia com comunicações que em nada contribuirão no seu processo de escolarização.

Com certeza a Internet pode ser uma valiosa ferramenta para a escola. Mas mesmo com ela (ou talvez até mesmo por causa dela) a escola ainda terá o desafio de contar com professores preparados para estimular uma utilização de forma adequada e capazes de planejar tarefas de aprendizagem que possam estar eficientemente ancoradas nesse recurso.

Acreditar que a Internet chegará para a escola como a solução pronta e acabada para resolver o problema do uso do computador é uma ingenuidade que professores, diretores e técnicos educacionais não podem se permitir.

Simão Pedro P. Marinho, em abril de 1999
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: